Falta? Tudo?




No fundo não falta nada
Ao mesmo tempo que tudo falta
Me falta a mão, o abraço, falta Luna
Falta vô que ainda nem falta
Faltam três mil km de distancia pra diminuir a saudade
E nada me falta em volta, porém dentro é oco.
Falta Ele ao meu lado, a presença calma
O riso bobo, os olhos bambos, a boca boa...
Vazio por tanta superfluidade
Pela presença como eu não queria que fosse.
Muito do que poderia ser não é
Do que poderia estar não está
Até mesmo muitas palavras agora não podem ser palavras, são mais que isso
Agora é maior que antes, mas pra mim continua sendo nada.
Estou cansado
Fraco
Não quero mais
Nem posso, nem devo
Amar  o nada é o que me resta.
Preciso fugir da fugacidade passional
Não quero as mãos que afagam
Quero ter ódio aos beijos que calam
Espero a solidão, a libertinagem
Pra não ter que sofrer, nem depender
Não ser mais um à espera.
Dói chorar pelo outro
Perceber nosso vão
Sufoco pelo vazio do afeto
E só ter o erro
Temer até o que é correto...
Mágoa
Silêncio
Abandono
Não...

- Apague a luz, sem mais poemas por hoje. Quero apenas dormir e encontrar no breu do meu sono a certeza da realidade mortal.

Vestido Afric.


Um dia eu li que uma coleção de roupa que tem uma bela história para contar acaba se tornando uma grande coleção, sendo assim, resolvi montar algo e buscar inspirações para desenvolver um vestido para uma cliente, ela quis um vestido inspirado na África, procurei referências e tendências e acabei chegando nesse vestido, inspirador. 

A história conta sobre uma jovem africana que carregava com ela um baú, onde ela levava o medo junto contigo, ela jamais deixava a caixa de lado e sempre onde ela passava, estava o baú com ela. O engraçado era que o baú não tinha tranca, então ela poderia abrir qualquer hora. Em um belo dia, determinada e cansada de levar o baú, ela resolveu abrir e viu que naquele baú não havia nada, apenas algo da sua cabeça, desde então ela se libertou e resolveu viver a vida da sua forma, determinada.

Procurei usar decote V por causa da sensualidade, cintura marcada e leveza ao mesmo tempo peso. Estampas repetidas e mangas abertas para ter um movimento mais delicado. O cetim ganha os decote e mangas para um bom acabamento.

















Sinto falta, é involuntário


"Eu sentia tanto, sinto até hoje..."



Doce menina, não sei porque andavas de vermelho se rosa era tua cor preferida. O porque do over nas suas doses de tequila e a agressão gratuita contra ti mesma. Linda, eu até hoje me pergunto, lembrando de ti - teu fim, mas na verdade meio que sei das respostas. Ninguém, nem mesmo os gênios podem se isentar desta prova carnal humano quase espiritual. O maior dos astros, o pior dos anônimos, cada qual no seu espaço, somos todos condenados a amar. Pena que grandeza de status nada altere nos efeitos colaterais desse ato.  Padecemos, alguns pagam o pecado, e justo você, pagou sem faltar um centavo. Nós continuamos aqui, prontos pra mais um Love fatality... Ai de mim!
Depois daquele 23 de Julho de 2011, a palavra Black adquirira uma nova representação, dizer que nós sempre voltaremos ao preto é  reconhecer que a vida é um ciclo de retornos ao luto, as perdas. Bem verdade. Eu infelizmente não pude sentir a brisa do seu “foda-se sociedade” naqueles poucos shows que você fez no Brasil, querida, hoje sou apenas um amigo íntimo dos seus feelings loucos. Éramos irmãos de outras mães, sangue de outras descendências e filhos da mesma decadência.
Certamente não existira nem um só cristão nessa terra que nunca se rebaixou a qualidade de vadia por algum canalha. Alguém que nunca se auto destruiu por pessoas fúteis e que não tenha se perdido no próprio caminho. No dia cinza da sua morte, embalado pelas outras merdas da vida, vesti-me de preto dos pés a cabeça e lá estava eu, num barzinho do centro velho de São Paulo, com um Marlboro babado na boca(exceção ocasional), conhaque numa das mãos e microfone na outra, cantando Black to Black aos prantos enquanto todos me olhavam. Não fora bem um show, afinação não é o meu forte,  talvez eles sentiam-se melhor por ver que havia um imbecil com uma dor maior que a deles, eu sentia tanto, sinto até hoje.  Nem me peçam para entender este tipo de amor, só sei que não é pena nem adoração, amo somente.

 Menina Amy, você nunca me conheceu e não seria daí, de onde quer que estejas, que me veria a mim. Creio que mortos não tem mais chance alguma de viver isso aqui, tudo isso que as vezes é um lixo, e... se agora choro não é por esperança que serei visto por ti, é porque é involuntário. Falamos aos mortos pelo mesmo motivo que amamos os canalhas, o fazemos com total convicção de não ter retorno, então te falo... Amy Jade Winehouse, descanse em paz, minha querida. Ainda há na terra alguém que entendeu, e sente mesmo estando sóbrio, as alucinações que você viveu em vida.

                                                                                              Em memória de Amy Winehouse,  ✡  14/09/83 a 23/07/2011


Borgonha ou Bordô.


No ramo da moda pesquisamos e observamos muitas pessoas,lugares, acontecimentos e cores, para dar inspirações, a partir daí criamos coleções ou  algumas peças... As cores sempre estão presente em tudo, já imaginou algo sem cor? Pois, bem. Bem difícil de se imaginar, não? Mas o foco da postagem vai para somente para a cor borgonha ou bordô que é mais conhecida.
Como estamos em uma época de frio, já pensamos logo em coisas quente, nisso entra o vermelho. nada como os fashionistas usarem um tipo diferente de vermelho na qual chega bem próximo do vinho. Essa cor vem em roupas, cabelos e sapatos, aderindo realmente seu espaço e deixando sua mensagem que vai esquentar a todos.

Eu, para ser mais especifico, gosto muito de usar preto, porém nesse inverno decidir aderir cores novas; como essa cor é diferente e quente, achei uma ótima opção para uso. Como você podem verem nesse vestido com recortes, fica lindo. Não precisa usar necessariamente em peças de inverno, podem ser misturadas e feito aquele mix delicioso.
Encontrei esse look e achei ele interessante para ser usado no inverno, acompanhado com um blazer. Ele traz algumas referencias de Paris. Os acessórios como o chapéu por exemplo me lembra as parisienses e o top, sendo usado com uma calça acinturada me transparece o estilo da frança.

Seja nos cabelos, roupas, acessórios ou sapatos, invista, não fique por fora dessa.

Que dá vontade... Dá!



  "Existem algumas coisas que não acabam, interrompem-se. Eu interrompi a nós..."
 




Sonhei contigo esta noite, novamente. Pela vigésima nona vez, deitei crente no seu esquecimento e acordei desejando um copo de pinga para forçá-lo. Não que eu beba, mas de todas as opções essa agora me parecia a melhor. Tempo, outra pessoa, amigos, chocolates, nada funcionou. Entre um e outro bolero, você, o sonho, e aquela tênue impressão de que precisas de mim. Pra quê? Porquê?... Um semestre sem ti, e tua presença vai e volta de mim sem você estar de fato presente.  Alguns supersticiosos dizem que esse tipo de pressentimento é sinal de fumaça, digo... de amor. Pode ser que ainda penses em mim, talvez me ame. Não creio, porém tais retrospectivas noturnas inquietam-me. O gostar é irrevogável, viver o outro, mesmo agindo contra este sentimento, não mesmo.As vezes dá vontade de ligar só pra ouvir sua voz - desligar, pôr um disfarce e descer sua rua pra ver se te encontro. Isso seria automutilação, entrega ao fracasso.  A certeza que nosso amor não vai vingar é latente,  eu que estou incerto. Cá entre nós, não desço do meu orgulho porque isso me traria de volta todos os demônios. Mas que dá vontade de me tacar no precipício pra sentir o êxtase de mais um beijo, ah... Isso dá. Momentos insanos.
Todos os argumentos, verdades e as coisas que mais fazem sentido jogam no seu time. O retardo que me retém nessa rede de sofrimento é apenas natural e para alguns até seria mutável, mas eu não posso mudar e já perdi. Seguir sofrendo é o que me sobra, gastando dedos, te vendo sem te ver, te tendo. Meu bem, é tudo uma questão de tempo (estou tentando acreditar em mim mesmo), há solução. Na era em que sentimentos e pessoas são descartáveis, me vejo assim, só meus poemas não passam, ainda que os jogue na privada, rasgue ou queime, quando percebo me pego lendo mais algum. Com certeza você, aí com seus outros amores, nem imagina que há livros falando de ti.
 Existem algumas coisas que não acabam, interrompem-se. Eu interrompi a nós. Com toda falsa convicção, toda falsa estrutura e principalmente sorriso, sigo vivendo. Você não sei, mas temo o dia em que a nossa vida se cruze. É tarde pra nós, isso seria uma catástrofe, de novo.

Sentir-se amado.


O cara diz que te ama, então tá. Ele te ama. 

Sua mulher diz que te ama, então assunto encerrado. 

Você sabe que é amado porque lhe disseram isso, as três palavrinhas mágicas. Mas saber-se amado é uma coisa, sentir-se amado é outra, uma diferença de milhas, um espaço enorme para a angústia instalar-se. 

A demonstração de amor requer mais do que beijos, sexo e verbalização, apesar de não sonharmos com outra coisa: se o cara beija, transa e diz que me ama, tenha a santa paciência, vou querer que ele faça pacto de sangue também? 

Pactos. Acho que é isso. Não de sangue nem de nada que se possa ver e tocar. É um pacto silencioso que tem a força de manter as coisas enraizadas, um pacto de eternidade, mesmo que o destino um dia venha a dividir o caminho dos dois. 

Sentir-se amado é sentir que a pessoa tem interesse real na sua vida, que zela pela sua felicidade, que se preocupa quando as coisas não estão dando certo, que sugere caminhos para melhorar, que coloca-se a postos para ouvir suas dúvidas e que dá uma sacudida em você, caso você esteja delirando. "Não seja tão severa consigo mesma, relaxe um pouco. Vou te trazer um cálice de vinho". 

Sentir-se amado é ver que ela lembra de coisas que você contou dois anos atrás, é vê-la tentar reconciliar você com seu pai, é ver como ela fica triste quando você está triste e como sorri com delicadeza quando diz que você está fazendo uma tempestade em copo d´água. "Lembra que quando eu passei por isso você disse que eu estava dramatizando? Então, chegou sua vez de simplificar as coisas. Vem aqui, tira este sapato." 

Sentem-se amados aqueles que perdoam um ao outro e que não transformam a mágoa em munição na hora da discussão. Sente-se amado aquele que se sente aceito, que se sente bem-vindo, que se sente inteiro. Sente-se amado aquele que tem sua solidão respeitada, aquele que sabe que não existe assunto proibido, que tudo pode ser dito e compreendido. Sente-se amado quem se sente seguro para ser exatamente como é, sem inventar um personagem para a relação, pois personagem nenhum se sustenta muito tempo. Sente-se amado quem não ofega, mas suspira; quem não levanta a voz, mas fala; quem não concorda, mas escuta. 

Agora sente-se e escute: eu te amo não diz tudo.

Martha Medeiros. 

Um dia, um look.

Sempre é bom sabermos o que usar em tais ocasiões, nessa temporada de sair para parques, encontrar amigos ou até mesmo ir em uma balada mais cool, podemos montar algo diferente para dar um quebra em qualquer lugar/evento, sempre gosto de surpreender, não sei vocês.

Cropped vai continuar nessa temporada, mesmo com esse ar gelado e frio ele vai dar uma pegada hype para seu look, shorts sempre são bem-vindos para quem gosta de algo mais livre, para não ficar vulgar demais, use um cardigã, casaco de tricô ou até mesmo jaqueta colegial, nos pés um poderoso All Star ou algum coturno.

Essas peças você pode encontrar em lojas como: Renner, Riachuelo e C&A.